Capitalismo como religião - Allan Coelho

0 Opiniões

Não disponível

Enviar
Avise-me quando estiver disponível
Sinopse

Como tem apontado os teólogos do DEI e, na sua esteira, o teólogo coreano-brasileiro Jung Mo Sung, os ídolos capitalistas – o próprio Capital, o Mercado, a Dívida Externa, o FMI, a OMC etc. – são objeto de um culto fanático, intolerante, que exige o sacrifício de inúmeras vidas de pobres, de negros, de crianças, de mulheres, de indígenas. Um culto que requer também – e isto já havia sido previsto por Benjamin – um outro tipo de sacrifício: o da Natureza, da Mãe Terra, vítima da voracidade destrutiva de um sistema econômico intrinsecamente perverso. (...) 
A junção explosiva de Walter Benjamin com o cristianismo da libertação, tal como a formula neste belo livro Allan Coelho, nos dá armas intelectuais, éticas, políticas e teológicas para combater, do ponto de vista de suas vítimas, a mortífera, idólatra e impiedosa religião capitalista.
Michael Löwy

O centenário, e hoje famoso, pequeno texto de Walter Benjamin, de 1921, O capitalismo como religião, que só foi descoberto na década 1980, é um marco na discussão desse tema. Ao seu lado, alguns pensadores da Teologia da Libertação Latino-americana, como Hugo Assmann e Franz Hinkelammert, começaram, já na década de 1970, a analisar o capitalismo como religião, como um tipo de religião idólatra que exige sacrifícios de vidas humanas. As duas linhas de pensamento são extremamente convergentes, criativas e “heterodoxas”; merecem ser lidas e, se possível, estudadas por aqueles que lutam para sair desse labirinto em que estamos.
Jung Mo Sung

Ficha Técnica
código227
código de barras9786586242737
CategoriaCatálogo
MarcaEDITORA RECRIAR
Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
E-book
Leia um trecho
Características
Sobre o autor

Em breve

Produtos visitados