Combo de Teologia Bíblica

0 Opiniões

Não disponível

Enviar
Avise-me quando estiver disponível
Sinopse

Filemom não é uma carta, é um bilhete. Um capítulo, meia página. Ao longo de anos tenho lido e relido essa epístola. E, assim, a amado ainda mais. Todos os comentários bíblicos que consultei a consideram um bilhete pessoal, desimportante, com assuntos particulares que envolviam apenas o autor e o destinatário. Mas, a carta a Filemom, para mim, tem três implicações seríssimas: alterações nas relações de poder, alterações das relações sociais e alterações nas relações comerciais. É pouco? É desimportante? Se essas alterações, ou se essas fulcrais subversões do Evangelho são questões triviais, então, o Evangelho compulsoriamente é também inútil e trivial?

Espero que, como aconteceu comigo, os leitores se identifiquem momentaneamente com cada personagem. A intenção é nos ajudar a entender porque ao longo dos séculos, e, talvez ainda mais no presente, a carta a Filemom foi esquecida. Propositalmente?

 


Os estudos bíblicos no Brasil e na América Latina contam hoje com muitos especialistas antenados com as vanguardas da pesquisa internacional. Neste volume nos encontramos com autoras e autores de uma geração de exegetas formados e atuantes no Brasil, docentes, a maioria, de teologia e ciências da religião. Quanta diferença de três décadas atrás, quando ainda se faziam necessários professores missionários estrangeiros para cobrir uma enorme lacuna de quadros. Mas não se trata apenas de quadros para formação. A exegese bíblica brasileira conta com abordagens que dialogam com seu contexto cultural, com sua sociedade e sua religiosidade. Trata-se de uma interpretação bíblica forjada na relação com nossa realidade. Arrojo técnico e acadêmico se alia a uma sensibilidade para com o complexo contexto religioso brasileiro.

Paulo Nogueira

 


Fé, obediência, visão focada na promessa de Deus são características que funcionavam como se fossem uma segunda pele de Josué e um verdadeiro desafio para nós. No entanto, Josué não nasceu pronto. Aceitou o desafio do chamado de Deus e aprendeu a servir e a estar disposto a se transformar: servir a Deus exige mudança de vida! Nos nove capítulos desse livro, os leitores serão apresentados a inúmero e importantes personagens que nos ajudarão a compreender não somente o livro de Josué, mas, também, a responder uma importante e fundamental pergunta – o que posso fazer para viver segundo o coração de Deus?


O Cristo que cada um de nós experimenta é, também, o Cristo que cada um de nós testemunha. Neste sentido, o Cristo é um acontecimento sempre singular. Neste texto, então, você vai experimentar e testemunhar duas singularidades impactantes: a do Cristo e a do Caio.
Felipe dos Anjos


Ler é sempre disputa, troca e relação com o texto e as outras pessoas.
E mais: é estar no mundo. Habitamos a realidade interpretando-a, ao mesmo tempo em que a criamos. Além disso, por ser a vida sempre interdiscursiva, coletiva, hermenêutica é diálogo com memórias, prazeres, experiências nossas e do outro, mesmo que distanciados por tempo e espaço.
Esta obra que apresentamos é a atividade dessas potencialidades conjugadas em quatro mãos e dois olhares; por vezes de perto, outras de longe, durante uma maturação de alguns anos. O texto que nos escolheu (é isso mesmo. Textos nos escolhem e não o contrário) para isso foi a carta aos Gálatas. Por que este opúsculo neotestamentário? Não saberíamos ao certo responder. Talvez, nossa vocação para a e da liberdade, alimentada por preocupações pastorais e éticas, tenha nos guiado até aqui. Gálatas é, indubitavelmente, junto com Romanos, uma das cartas mais influentes do apóstolo Paulo. Assim sendo, as leituras teológicas e políticas que brotaram dessas palavras estão entre as mais estruturantes da experiência e da prática religiosa dos muitos cristianismos que emergiram ao longo da história. Trata-se de uma arquiescritura, letras com indícios originários. O ritual da circuncisão não é apenas o nexo problemático da carta, mas aponta para o próprio modo de produção do texto apostólico ¿ uma escritura incisiva, dilacerante, penetrante, cirúrgica, em traços e trilhas, como rastros no corpo. Gálatas explicita a força e o espaço aberto pelo Messias no corpo do escritor. Há um corte, um punho próprio, letras imensas, uma perturbação e um estigma em cena - fortes revelações traduzidas em palavras, transformadas em movimento literário. Como captar a força explosiva da Palavra? Como ler o Espírito?
A carta é como uma tatuagem: envolve força, dor, sangue, marca, memória, tempo, alteridade, comunidade, identificação e significação.
Kenner Terra e Fellipe dos Anjos

Avaliações

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
Sobre o autor

Produtos visitados